Covid e Reumatismo, o Que Fazer?

Primeiramente, a atual piora da situação do covid é muito preocupante. É importante que todos nós façamos ao máximo as medidas de isolamento e higiene, o uso de máscaras e álcool em gel. Mas e quanto à relação entre covid e reumatismo, o que fazer?

Quem tem reumatismo tem maior risco de covid?

De acordo com os principais dados, tem um risco um pouco maior de contrair o covid. No entanto, o risco de ter que ficar num hospital, ou numa UTI é igual ao de uma pessoa com as mesmas características, sem reumatismo. O que aumenta o risco é se tiver doença cardíaca, pulmonar, pressão alta, obesidade e, principalmente a idade. O corticoide também é um problema, e vamos falar sobre isso mais à frente.

E o corticoide quanto ao covid e reumatismo?

O corticoide (prednisona e seus equivalentes), em dose maior que 10mg por dia, aumenta o risco de forma grave do covid. Dessa forma, deve-se tentar ao máximo diminuir a dose, porém ATENÇÃO! NÃO REDUZA A DOSE POR CONTA PRÓPRIA! A falta de corticoide de repente pode fazer muito mal e acabar causando uma crise da doença ou uma ida ao hospital!

Como agir em relação aos outros remédios?

Os nossos remédios, exceto o corticoide, não causam risco aumentado de quadro grave de covid. Portanto, deve-se continuar o uso. Quando se está bem da doença, pode-se até conversar com o médico para diminuir a dose. No entanto, se tiver muitos sintomas, pode-se aumentar a dose ou mudar o tratamento, com tranquilidade.

E quanto às consultas?

É prudente evitarmos sair de casa à toa. Por isso, a frequência de consultas, exames e procedimentos pode ser diminuída. Claro que é preciso avaliar com o médico se isso é possível. Por exemplo, a telemedicina é muito útil nesse caso. Se o reumatismo está controlado, pode-se diminuir a frequência de consultas e fazê-las online. Se estiver com sintomas, o risco da doença é maior do que do covid, e as consultas são muito importantes.

Tive contato com alguém infectado!

Primeiramente entre em contato com seu médico. Ele deve te orientar a interromper os remédios que mexem com a imunidade. Não pare o corticoide de uma vez, combinado? Então deve ser mantida observação por 2 semanas. Nesse caso, se continuar sem sintomas, pode voltar os remédios.

O que fazer se eu contrair covid?

Nesse caso, deve entrar em contato com seu reumato com pressa. Deve-se conversar para parar os remédios, de uma forma correta. Além disso, as medidas são as mesmas da população geral. Ficar em casa, em repouso e ir a hospital se sinais de alarme: falta de ar, tontura, desmaios, dor no peito, queda de pressão. A qualquer desses sinais, corra para o pronto-socorro. Depois de recuperar-se é que vamos pensar em quando voltar a tomar os remédios.

Devo me vacinar?

Deve-se discutir isso com o seu médico. Isso é o que os guias de conduta concordam. Primeiramente, não há motivos para se achar que as vacinas sejam arriscadas. Além disso, elas têm se mostrado medidas efetivas para combater o vírus. No entanto, não há estudos feitos com pacientes reumáticos. Assim, não sabemos dizer com certeza o quanto a vacina é eficaz e segura nesse cenário. Por isso, eu prefiro que cada situação seja vista individualmente. E a decisão seja tomada conforme os riscos e os benefícios de cada pessoa

Resumindo

Enfim, quem faz algum tratamento reumático não tem motivos para tomar precauções extra! As medidas gerais são eficazes e o risco não é aumentado. Mantenha contato, mesmo à distância, com seu reumato, e não abandone o tratamento! Assim, logo essa onda há de passar e voltaremos à vida normal!

Fontes:
* https://www.rheumatology.org/Portals/0/Files/COVID-19-Vaccine-Clinical-Guidance-Rheumatic-Diseases-Summary.pdf
* https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/art.41596
* Risk and clinical outcomes of COVID-19 in patients with rheumatic diseases compared with the general population: a systematic review and meta-analysis

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp